Muitos pais se perguntam sobre o estímulo em crianças de 3 a 5 anos que estão no período da pré-escola e se é ideal que eles recebam conteúdo de diferentes fontes para um enriquecimento acadêmico. Com isso iniciou um movimento agitado em busca de “Babies class” por todo o país. Ensino bilíngue para bebês, música clássica, artes e filosofia para crianças. E o que isso significa para a criança?

Durante os primeiros anos de vida a criança apresenta uma plasticidade cerebral muito boa, que permite que aprendam muitas coisas e de forma muito mais veloz do que em qualquer outra idade da vida dela. Essa plasticidade permite que as sinapses ocorram e se formem mais rapidamente, o que facilita o processo de aprendizado de uma nova habilidade como falar uma segunda língua ou desenvolver dons musicais.
Realmente o estímulo infantil é muito válido para crianças de 3 a 5 anos, pois esse é um momento incrível para ela, neurologicamente falando. No entanto, o que tem ocorrido é uma sobrecarga de informações nessas crianças. Crianças de 4 anos que já possuem uma complexa agenda de aulas e cursos são mais propícias a demonstrar desinteresse pela escola.

O superestímulo infantil gera nos pequenos aprendizes uma monotonia criativa pela falta do brincar. Por maior que seja a plasticidade cerebral nessa faixa etária, nunca devemos esquecer que são crianças e que parte do seu desenvolvimento depende também do brincar e do ócio. Os antigos gregos valorizavam muito o ócio, pois é através dele que a criatividade surge. O ócio criativo é extremamente produtivo para eles que estão em pleno desenvolvimento. E quando falamos de ócio, estamos falando de realmente não fazer nada. Deixar a criança livre de tecnologias ou estímulos. Apenas ela e seus pensamentos. Daí ela irá brincar e realizar atividades como a resignificação de objetos, por exemplo, quando finge que uma caixa é um carrinho ou que um lápis é um boneco.

Todo esse processo criativo, somado ao ócio produtivo e os estímulos na medida certa, farão com que a criança tenha um interesse cada vez maior pelo aprender e descobrir coisas novas, pois será movida por tudo que está sendo ensinado a ela e, ao mesmo tempo, gerando curiosidade e criatividade em seus momentos de lazer. E nem precisamos mencionar da necessidade do brincar para desenvolver habilidades sociais.
Estimulem as crianças sim! Na medida certa, sem pressões e sempre dedicando um tempo de qualidade junto a ela para brincar e fazer nada também!